sábado, 10 de janeiro de 2009

O intruso e Amor primitivo


O intruso
O intruso encontra comigo no bar
Beija minha mão, pede mais um
Puxa a cadeira, pede mais um
Come um bolinho, pede mais um
Paga a conta quando vem mais um.
O intruso me deixa em casa
Abre minha porta como se fosse dele
Abre minhas pernas como se fossem dele
O intruso vai embora tarde
Pede desculpas e deixa elogios.
Diz que qualquer dia volta
pra gente tomar mais um.
Mal sabe que amanhã mudo de endereço,
de cidade e de nome.
Mais um.

Amor primitivo
O nosso amor é tão bronco
(digo no melhor sentido)
que até o barulho do teu ronco
desperta minha libido.

Publicados no blog No Front do Rio, de Cesar Tartaglia.

Um comentário:

  1. Já tinha lido esse quando o Cesar T. postou.
    Muito bom!
    Parabéns pelo blog!
    =**

    ResponderExcluir