sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Pronta


Dessa vez, não chorei
O desprezo desceu
pela garganta
até meu ventre vazio.

Dessa vez, não te esperei
Preferi a dor seca,
o corpo esguio,
o riso vadio, o frio.

Valeu a pena ficar inteira
Foi bonita a cena
do meu descaso
Teu ego caído
me faz muito bem
Meu olhar distraído
atraiu outro bem

Dessa vez,
virei o jogo
virei a cara
pronta pra outra
pronta pra outro
bem melhor que você.


Publicado no Balaio Porreta, de Moacy Cirne.

11 comentários:

  1. Menina, que maravilha! Parabéns! Amanhã mesmo o seu Chalé estará no Balaio.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. que chalá aconchegante, vivi. vou voltar sempre. beijo.

    ResponderExcluir
  3. Lindo o chalé! Parabéns, Vivi! ;)

    ResponderExcluir
  4. Maravilha Vivi. Seja bem vinda ao mundo blogueiro. Esse teu chalé parece que vai ser um conforto só. Agora, a poesia de abertura é um tremendo festival de joga na cara,né? Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Eita Vivi que entrar aqui é aconchegante como estar num chalé. Adorei!!!! Beijos saudosos.

    ResponderExcluir
  6. Vivi, PRONTO: Você está no Balaio. Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Vivi,
    Vi (desculpe o trocadilho, foi inevitável..rs) a tua poesia Pronta lá no Balaio e amei de paixão!
    Colei e guardei nos meus documentos, pq um dia posso precisar usá-la (mencionando os créditos, é claro) Ela fala tão simplesmente da cura do amor, mas ao mesmo tempo com uma soberba encantadora!
    Parabéns!

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi, Vivi
    Júlia adora o Cinzão e eu adoro o Chalé.
    Beijos!
    Flávia.

    ResponderExcluir
  9. Vivi, parabéns pelo Chalé e pelas belas palavras. Gosto muito dos seus escritos...
    beijo, Márcio

    ResponderExcluir